Arquitetura de uma rede social
Você está em Home Aplicativos, Blog, Mercado Arquitetura de uma rede social

Em diversas oportunidades, sejam em ideias de clientes ou em features de algum projeto, sempre surgiu a necessidade de se planejar e desenvolver uma rede social. Entretanto temos vários exemplos no mercado de diferentes modelos desse tipo de plataforma: Facebook, Instagram, Linkedin, como as mais conhecidas. Esse texto tem como objetivo fazer um apanhado geral de como deve ser a arquitetura de uma plataforma de redes sociais com o objetivo de facilitar o entendimento da real necessidade do desenvolvimento ou aprimoramento da definição de regras de negócio de algum projeto:

As aplicações de redes sociais tornaram-se uma parte inescapável das nossas vidas. O poder das redes sociais é tal que o número de usuários ativos mensais em todo o mundo deve chegar a cerca de 3 bilhões até 2021. Sim, isso é cerca de um terço da população total da Terra.  A ideia de construir novas interações sociais é grande, então seria útil aprender um pouco sobre as camadas de tecnologia nas quais as redes sociais confiam. Como não importa qual seja seu público-alvo, sua rede social deve oferecer uma ótima experiência ao usuário e fornecer recursos essenciais.

Começaremos com três recursos fundamentais que realmente definem um aplicativo como uma rede social – perfis, feeds e conexões.

Perfis

A primeira coisa que os novos usuários criam em uma plataforma de mídia social são seus perfis.

As pessoas usam perfis para se expressarem, portanto, um aplicativo deve fornecer algumas ferramentas para personalizá-las. Por exemplo, aqui estão quatro maneiras pelas quais os usuários do seu aplicativo podem personalizar seus perfis:

  • Efeitos de fotos. Os usuários podem adicionar efeitos para tornar suas fotos de perfil mais brilhantes e expressar seus pensamentos. Os usuários do Facebook por exemplo podem adicionar quadros personalizados às suas fotos.
  • Cores de fundo. Para se destacar, os usuários podem personalizar a aparência de seus perfis, definindo a cor e o estilo.
  • Bio personalizável. Com opções animadas que exibem interesses, hobbies, preferências alimentares e muito mais, os usuários podem tornar seus perfis bonitos e mostrar seus interesses e individualidade.
  • Links. Os usuários podem adicionar links para sites, blogs e outras redes sociais que usam.

Os perfis são importantes, mas no final das contas, as pessoas usam as redes sociais para compartilhar e descobrir conteúdo. O YouTube, por exemplo, é sobre vídeos enviados por usuários. Os usuários do Instagram compartilham fotos e vídeos e podem transmitir vídeos ao vivo.

Feed

Um feed é uma obrigação para uma rede social ser envolvente. O conteúdo exibido em um feed pode ser compartilhado pelos usuários de um aplicativo de mídia social na forma de histórias geradas pelo usuário, áudio, vídeo, apresentações ou fotos.  O conteúdo também pode ser selecionado pelos administradores de um aplicativo.

Compartilhar conteúdo motiva as pessoas a usar uma rede social. Com base nos motivos de compartilhamento das pessoas, podemos dividir o conteúdo gerado pelo usuário da seguinte maneira:

  1. O que está acontecendo?

Esse é o tipo de conteúdo que os usuários postam para que seus amigos saibam onde estão e o que estão fazendo. A maneira mais comum de deixar os outros saberem o que está acontecendo é marcar um local.

  1. Auto expressão

Atualizações de status, fotos e vídeos postados na linha do tempo de um aplicativo satisfazem o desejo das pessoas de se expressarem. Os aplicativos sociais mais bem-sucedidos fazem o seguinte para satisfazer esse desejo:

  • Fornecem ferramentas que tornam o conteúdo gerado pelo usuário único
  • Simplificam o processo de compartilhamento de conteúdo
  • Segmentam públicos-alvo específicos

Mesmo que os usuários de um aplicativo social não criem conteúdo, mas o copiem e colem de outras fontes, isso também pode ser visto como conteúdo gerado pelo usuário, porque compartilhar os pensamentos de outras pessoas também é uma forma de expressão pessoal. Por exemplo, muitas pessoas usam o Twitter para postar links não apenas para o conteúdo que criaram, mas para o conteúdo criado por outras pessoas e empresas de mídia.

  1. Autoestima

Esse tipo de conteúdo se alimenta do desejo das pessoas de se parecerem bem. Ele também permite que os usuários obtenham algumas recompensas explícitas (ou implícitas) por suas atividades. Status especiais, emblemas, níveis e recompensas (gameficação) como cupons, são formas diferentes pelas quais um aplicativo pode acionar o desejo social comum de ser melhor do que os colegas.

Conexões

Seja chamado de seguidor, amizade ou outra coisa, deve haver uma maneira de os usuários de uma rede social se conectarem uns com os outros. Vamos ver como você pode ajudar os usuários a estabelecerem novas conexões:

  1. Conexões com base em conteúdo

O conteúdo é rei, especialmente quando se trata de aumentar o público e construir relacionamentos. Como, exatamente, o conteúdo aumenta as conexões em um aplicativo social? Através dos usuários. Os usuários criam conexões compartilhando e interagindo com o conteúdo. No entanto, os usuários interagem com o conteúdo de maneiras diferentes. Aqui estão quatro tipos diferentes de usuários:

Explorador. Essas pessoas gostam de descobrir conteúdo, por isso você deve fornecer vários feeds. Um desses feeds pode incluir apenas conteúdo gerado pelos amigos do usuário, e outro pode apresentar conteúdo de tendência que é promovido em toda a rede.

Talker. Você adivinhou! Essas pessoas gostam de falar, então implemente comentários para ajudá-los a inserir sua voz na conversa em andamento e chamar a atenção.

Admirador. Você tem amigos no Facebook que gostam de tudo o que veem? Todos nós podemos ser admiradores de tempos em tempos. Favoritos, curtidas ou retweets (como o Twitter os chama). Favorecer o conteúdo de outras pessoas amplifica o valor de uma postagem e pode incitar uma pessoa que gosta a se conectar com o autor da postagem.

Pesquisador. Eles estão perto de exploradores, mas com uma diferença: os pesquisadores sabem o que estão procurando. As hashtags são um ótimo mecanismo de classificação de feed de notícias criado pelo Twitter.

  1. Grupos

Grupos públicos são comunidades que reúnem pessoas com valores comuns. Grupos são sobre conexões entre pessoas. Eles podem ser o foco principal de um aplicativo social ou podem ser um recurso adicional. Como alternativa, os grupos em um aplicativo social podem ser criados em torno de entidades não-usuárias, como empresas e organizações, que desejem fazer parte de uma rede social.

  1. Eventos

Talvez conectar pessoas possa ir além dos limites digitais? Se você está querendo saber como criar um aplicativo de mídia social e mantê-lo em contato com a realidade, um aplicativo baseado em eventos pode ser uma boa opção. O envio de convites para eventos ou o uso de tickets como recompensas explícitas podem ser uma fonte de receita para um aplicativo social e uma fonte de novas conexões para os usuários. Na era de tudo o que é digital, os eventos são uma ótima oportunidade para um aplicativo mover a comunicação on-line para configurações do mundo real.

  1. Pesquisa

Os aplicativos sociais geralmente permitem que os usuários pesquisem por nomes de usuário ou nomes completos. Mas podemos adicionar filtros que restrinjam os resultados da pesquisa. Esses filtros podem incluir localização, sexo, interesses, empregos ou qualquer outra informação associada a um perfil.

  1. Recomendações

Com base nas informações à disposição de um aplicativo, ele pode sugerir novas conexões para os usuários. Uma rede social deve analisar cuidadosamente as escolhas dos usuários. Ofereça aos usuários uma opção como “Não quero ver esta página em recomendações” para garantir que sua rede social forneça uma ótima experiência ao usuário.

Mensagens

Hoje, as mensagens e os bate-papos são obrigatórios para muitos aplicativos, não apenas para redes sociais. Seu aplicativo de rede social não estaria totalmente equipado sem esse recurso.

Conteúdo de valor agregado

Este conteúdo é algo que faz dinheiro nas redes sociais. O conteúdo de valor agregado pode enriquecer os perfis e oferecer funcionalidades adicionais ou possibilidades de publicidade. Alguns desses conteúdos podem entrar em um aplicativo social por meio de parcerias com provedores de conteúdo (desenvolvedores de jogos, artistas e outros).

Painel de administração

Uma parte mais importante do desenvolvimento de aplicativos sociais é a criação de um painel de administração. O principal objetivo de um painel de administração é oferecer suporte aos usuários do aplicativo. Se, por exemplo, um usuário tiver dúvidas sobre o aplicativo, ele poderá direcioná-las ao administrador do projeto diretamente do aplicativo. O painel de administração permite que os proprietários de aplicativos visualizem todas as perguntas e enviem respostas aos usuários em tempo real. Essa funcionalidade é especialmente importante quando uma pergunta é específica e está relacionada ao histórico, aos dados pessoais ou aos pagamentos de um usuário.

Além do gerenciamento de usuários, um painel de administração também pode implementar recursos de gerenciamento de usuários e grupos para oferecer algum controle sobre o conteúdo gerado. Às vezes, um painel de administração também possui uma página de estatísticas com análises integradas. Com isso, você pode obter insights sobre o desempenho de seu aplicativo e criar ideias sobre como melhorá-lo.

Vamos falar sobre o desenvolvimento

É difícil aqui, em um texto, determinar como e com qual linguagem seria a mais recomendável para o desenvolvimento de uma plataforma desse tipo, já que, existem diversos cenários de regras de negócio, infraestrutura e até mesmo budget do cliente. Mas podemos fazer um apanhado geral sobre as estruturas básicas do projeto. Por exemplo, o esquema básico do banco de dados de uma rede social seria algo parecido com isto:

Pensando na experiência do usuário e tempo de engajamento, a UI e a UX das telas da rede social devem ser pensadas para terem o mínimo de carregamento (reload) entre uma transação e outra. O uso de views carregada de forma dinâmica via Ajax (estamos falando do front-end) é uma boa saída. Nos projetos em que já atuei, eu sempre mantinha esse fluxo para as funções da mesma sessão, por exemplo, funções do perfil (ver perfil, editar perfil, etc) sempre eram transacionadas sem um novo reload.

CONCLUSÃO

Tudo somado, o desenvolvimento de aplicativos de redes sociais é um grande negócio. Para entrar no jogo com menos riscos, sugerimos que você comece com uma versão menor do seu produto, ou um MVP, e trabalhe até chegar ao topo.

LEITURA RECOMENDADA

Por que usamos redes sociais?  https://trilhas.diogenesjunior.com.br/por-que-usamos-redes-sociais-524295fd490d (escrito por Diogenes Junior)

Quanto custa desenvolver um aplicativo?  https://www.diogenesjunior.com.br/quanto-custa-desenvolver-um-aplicativo/ (escrito por Diogenes Junior)

Esse texto foi revisado por Val Felix

Junte-se a mais de 150 clientes que já estão transformando o mundo digital & mobile!

Quero um orçamento